15º Fórum de Economia

3 e 4 de setembro de 2018

Fórum coordenado pelo Centro de Estudos do Novo Desenvolvimentismo  

da Escola de Administração (EAESP) e Escola de Economia (EESP)

da Fundação Getulio Vargas (FGV)

Sujeito a alterações

No final deste ano o Brasil terá eleições presidenciais em um clima de grande incerteza. A economia brasileira, porém, precisa de tranquilidade para reencontrar o desenvolvimento econômico há muito tempo perdido. Em seus quatorze anos, o Fórum de Economia da Fundação Getúlio Vargas tem sido crítico tanto da alternativa liberal quanto da populista, defendendo uma política novo desenvolvimentista baseada em responsabilidade fiscal e cambial que, até hoje, nenhum dos governos da Nova República implementou. Que política é essa?

 

Segunda-feira – 3 de setembro de 2018

 

08:30-9:00 – Credenciamento

09:00-9:30 – Abertura

Luiz Carlos Bresser-Pereira - Coordenador do Fórum

Carlos Ivan Simonsen Leal - Presidente da Fundação Getúlio Vargas

Yoshiaki Nakano – Diretor da EESP-FGV

João Guilherme Sabino Ometto – FIESP e Grupo São Martinho

Pedro Wongtschowski - Presidente do IEDI  

Clemente Ganz Lúcio - Diretor do DIEESE  

09:30 -10:15 – Palestra: Eduardo Guardia (Ministro da Fazenda)

10:30-13:00 - 1º Painel – Como agir em 2019 diante do teto de gastos?

Depois de 12 anos de superávits primários satisfatórios, a economia brasileira enfrenta desde 2013 desequilíbrio e crise fiscal. E agora um teto fiscal congelou os gastos do governo em termos reais. Terá o próximo governo condições de cumprir o teto, ou ele é inviável e o novo governo deverá propor reforma constitucional? Neste caso, qual seria a meta fiscal em comparação tanto com a despesa de 2017 quanto com o limite do teto constitucional?

Presidente da Mesa: Pedro Wongtschowski (IEDI)

Expositores: Luciano Coutinho (UNICAMP); Nelson Barbosa (FGV); Gabriel Galípolo (Fator); Nelson Marconi (FGV).

Debatedores: Bráulio Borges (LCA), Manoel Pires (FGV/Ibre).

 

13:00 -14:30 - Almoço

14:30-17:00 – 2º Painel – O voto distrital devolverá governabilidade ao presidencialismo?

O sistema eleitoral proporcional com listas abertas tem-se revelado incompatível com a governabilidade, porque o presidente eleito é, em seguida, obrigado a realizar acordos vexatórios com os partidos. Não estaria na hora de sacrificar um pouco a representatividade e adotar o sistema majoritário distrital, que todos os outros grandes países democráticos adotam?

Presidente da Mesa: João Guilherme Sabino Ometto (FIESP)

Expositores: Marcus Ianoni (UFF); Claudio Gonçalves Couto (FGV); Maria do Socorro de Souza Braga (UFSCAR), Fernando Abrucio (FGV)

Debatedores: Joaquim Falcão (ABL); Mario Sergio Conti

 

Terça-feira, 4 de setembro de 2018

 

09:00 -10:00 – Palestra: André Singer

10:00 – 12:30 – 3o. Painel – Por que o Brasil investe tão pouco?

O Brasil investe e poupa muito pouco, e por isso cresce pouco. Por que a poupança é tão pequena. É um problema cultural sem solução? É meramente um problema de populismo fiscal, expresso em elevados déficits públicos, como dizem os liberais? Ou é também um problema de populismo cambial, expresso em déficits em conta-corrente, como dizem os novos-desenvolvimentistas?

Presidente da Mesa: José Velloso Dias Cardoso (Abimaq)

Expositores: Mario Bernardini (Abimaq); José Luis Oreiro (UNB); André Roncaglia de Carvalho (UNIFESP).; Fernando de Holanda Barbosa Filho (IBRE/FGV).

Debatedores: José Francisco de Lima Gonçalves (Fator), Ricardo Carneiro (Unicamp).

 

12:30 -14:00 – Almoço

14:30-17:00 – 4º. Painel – O Leste da Ásia tem alguma coisa a nos ensinar?

Os países do Leste da Ásia são únicos países que, no século XX, adotaram um modelo de crescimento desenvolvimentista e nacionalista, e, assim, Japão, Coreia do Sul, Taiwan e Singapura se tornaram ricos. E desde 1980 é a China que segue o mesmo rumo. Os novos-desenvolvimentistas afirmam que a teoria e a política que propõem estão baseados nessa experiência. Têm esses países, realmente, algo a nos ensinar?

Presidente da Mesa: Fernando Bueno (Abimaq)

Expositores: Yoshiaki Nakano (FGV); Carmem Feijó (UFF); Carlos Aguiar de Medeiros (UFRJ), Roberto Borghi (Unicamp).

Debatedores: Luiz Fernando de Paula (UERJ); Gustavo Fernandes (FGV).

 

17:00 – Encerramento

 

Local: Salão Nobre da EAESP, 4º. Andar (Entrada pela Rua Itapeva, 432)

 

 

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede